30 julho 2012

Todo mundo tem um sonho.

A saudade bate logo cedo e antes d'eu deitar só para se assegurar que eu não esqueci de você, e nem sei como poderei.

28 julho 2012

Saudade


Um sonho distante que aperta...


27 julho 2012

Uma verdade indiscutível é que o amor nos torna vulneráveis e de certa maneira até tolos(as). É um tanto estúpido a olhos alheios dizer que você ficaria com alguém até o fim do mundo. Mas, para os amantes, se o momento for real, o dizer será o mais genuíno que se possa imaginar. Então, embora eu faça papel de tola, eu digo com a maior sinceridade que eu possa encontrar nesta vida: eu ficaria com você até o fim do mundo. Só você.

26 julho 2012

:)

Não precisa ser o mais bonito. Beleza com o tempo se esvai. Precisa somente fazer meu coração sorrir.

22 julho 2012

Às vezes tenho a impressão que sou como uma narradora observadora, que não interage com o mundo, apenas fica de canto observando as coisas acontecerem, as histórias se desenrolarem.

20 julho 2012

Todo começo tem um fim.

16 julho 2012

Canção da Despedida

Eu quis ficar aqui, mas não podia. 
O meu caminho a ti não conduzia.
Um rei mal coroado... 
Não queria o amor em seu reinado. 
Pois sabia... Não ia ser amado.


{Geraldo Azevedo}

14 julho 2012

Doces alcoólicos?

Uma amiga minha enviou-me esta imagem, não sei qual a origem, mas achei a ideia curiosa. Não acredito que funcione... mas por diversão vale experimentar. :)

Ilusão

Muito fácil se perder.
Muito difícil se reencontrar.

13 julho 2012

A invenção de Hugo Cabret



Acabei de assistir ao filme "A invenção de Hugo Cabret". Não li o livro, se me perguntarem. Mas, fiquei muito encantada com a mensagem que o filme tenta transmitir, pelo menos a que consegui  absorver para minha própria vida.

I like to imagine that the world is one big machine. You know, machines never have any extra parts. They have the exact number and type of parts they need. So I figure if the entire world is a big machine, I have to be here for some reason. And that means you have to be here for some reason, too.
 
― Brian Selznick, The Invention of Hugo Cabret

Desenhos, desenhar

Ando sem muitas palavras. Sem muitas ações também. Estou tentando não abandonar meu blog e nem meu site, embora ambos estejam carentes de atualizações dignas. O blog pelo menos posto com mais frequência (que nem é tanta assim). De vez em quando sinto a necessidade de me ausentar de alguns ambientes e encontro no blog um refúgio. Escrevo para mim, escrevo para qualquer um que queira me acompanhar... Acho que desta forma a atividade de escrever se torna tão mais auto-suficiente. 

Estou num momento de reflexão. Aquele momento em que você pensa sobre a vida e sente a necessidade de retomar atividades, de perseguir seus sonhos sem medo, de abandonar tudo que te suga ou prende à margem do rio, impedindo que você suba na canoa e (vá) navegue rumo o desconhecido. 

Falando sobre retomar atividades... Esses tempos tenho desenhado mais que o normal. Geralmente nas férias este tipo de coisa acontece. Repentinamente sinto-me tomada por um fluxo de "vontade". Um dos trabalhos recentes que mais gostei foi um retrato que fiz da rainha Má (Evil Queen) do seriado americano "Once Upon a Time".


Comparando com desenhos anteriores, creio que evolui no quesito proporção. Como tudo nesta vida, desenhar requer prática para que haja aperfeiçoamento. Ainda não alcancei o meu grande objetivo, mas estou seguindo e procurando melhorar cada vez mais. Preciso também ser mais paciente, mas acredito que isto acontecerá com o tempo.

Por enquanto é isto... Entre tantas explosões inspiradoras só não posso esquecer que sou Física

De dentro

Erupção... ERUPÇÃO erupção, erupção, erupção explosão Explosão... de dentro atravessa a pele mancha, mancha, mancha manifestação ...