21 agosto 2012

Manifestação

Hoje o dia foi um tanto quanto agitado. Primeiramente, consegui levantar cedo! Ainda que o céu estivesse escuro. Sim, é uma grande vitória. Pelo menos para mim. 

Então, após minha corrida matinal, fui diretamente para universidade. Este semestre colocaram todas as disciplinas pela manhã. Como eu já esperava, um engarrafamento logo no começo do caminho. Achei que fosse devido ao número de veículos. Mas, depois reparei que algumas pessoas saíam de seus carros para ver o que tinha acontecido. Minha segunda hipótese: um acidente. Pronto, ficaríamos parados até chegar a perícia. Sem contar que tinha um caminhão pesado atravessado na pista. Ou seja, ninguém passava. 

Mas se tivesse sido uma batida, comum dos engarrafamentos, eu não estaria gastando meu tempo (ou estaria?) comentando aqui no blog. Quando alguns carros abriram mais espaço e tentaram voltar pela contra-mão, eu percebi que na realidade haviam fechado a rua em protesto. Alguns moradores da região estavam de mãos dadas fechando o caminho. Também tinham espalhado galhos de árvores pelo chão e trapos para bloquear a passagem. Aí um dos manifestantes segurava um cartaz que solicitava sinalização na região. Pelo visto, um acidente com uma senhora de idade tinha acontecido recentemente devido a ausência de faixa de pedestres ou sinal. 

Fiquei presa nessa confusão por mais de uma hora. O sol começava a esquentar. Nada de CTBEL no local. A polícia só apareceu para assistir. Providências? Nenhuma. Daí os meios de comunicação surgiram. Tudo que o povo queria! O silêncio do protesto que até então só pôde ser entendido por uma ou duas cartolinas  foi verbalizado. Claro! Se é para aparecer na TV, né? Vamos aparecer! Uma senhora, a mais engajada talvez, começou a puxar um coro dos outros manifestantes que pareciam até ter caído de pára-quedas na manifestação. Aí, não tão expressivo, o povo começou a falar. 

Pensei que eu fosse me estressar mais do que me estressei. Estava atrasada para meu primeiro dia de aula. Tudo bem. Não podia fazer muita coisa. Não ia sair atropelando o povo. Fiquei aguardando... Uma hora eles teriam que sair da frente. Foi somente após a aparição da mídia e do teatro feito em frente as câmeras que eles liberaram a passagem. 

Felizmente, consegui chegar na universidade antes de começar a aula. Não peguei nenhum engarrafamento após essa confusão. Também, seria demais azar. 

2 comentários:

  1. Pelo visto nós duas tivemos um mau dia, ou você ao menos teve um início ruim. Coloquei em prática o "sorrir para o nada" e até que funcionou :-D

    ResponderExcluir
  2. É vero! E não foi somente isso hoje. Mas resolvi colocar apenas este fato porque do contrário o post ficaria ainda maior.

    ResponderExcluir

De dentro

Erupção... ERUPÇÃO erupção, erupção, erupção explosão Explosão... de dentro atravessa a pele mancha, mancha, mancha manifestação ...